Arquivos para categoria ‘Mary Poppins Returns’


Emily Blunt Brasil | 09.06.2017 | Entrevistas,Filmes,Mary Poppins Returns

A Entertainment Weekly divulgou na quinta-feira (08), uma entrevista exclusiva com Emily Blunt direto do set de ‘Mary Poppins Returns’, onde ela comentou sobre suas inspirações para interpretar a icônica personagem. Confira a entrevista traduzida:

Dos três filmes que todos os espectadores deveriam saber antes de ver a sequência da Disney em 2018, ‘Mary Poppins Returns’, dois são de “fácil entendimento”: clássico de 1965 ‘Mary Poppins’, que trouxe os livros de P.L. Travers para a tela, e a cinebiografia de 2013 ‘Saving Mr. Banks’, que relatou as primeiras interações de Walt Disney com a autora para conseguir fazer o filme de 1964.
O terceiro filme na lista é uma surpresa, mas serviu de inspiração para a nova estrela, Emily Blunt, em sua interpretação da amada babá Mary Poppins: o sucesso de Howards Hawks de 1940, ‘His Girl Friday’ (abaixo). A comédia clássica estrelada por Rosalind Russel como Hildy Johnson, uma jornalista rápida, inteligente e prática, que exerce ferozmente o poder da conversa e pode disciplinar uma sala cheia de homens desagradáveis com apenas um olhar.


“Ela é como uma heroína para mim, e na verdade, essa foi a “entrada” para a personagem que discuti com o diretor Rob Marshall”, conta Blunt a EW no set da sequência. “ Eu adoro o ritmo em que as coisas acontecem. É tão emocionante. São os anos 30 em nosso filme e, portanto, tem uma leveza e uma qualidade, o que eu pensei que estava certo porque Mary vem e varre tudo e faz tudo certo novamente e tudo acontece antes mesmo de você saber disso. Há um ritmo que pareceu realmente correto para o período e a personagem. E, estilisticamente, também é um aspecto diferente, eu adoro toda essa era. ”
A abordagem de Blunt como Mary Poppins é menos parecida com a performance de Julie Andrew em 1964 e muito mais com a da série de oito livros de Travers, o que serviu de inspiração para a história de ‘Mary Poppins Returns’ nos anos 30. “Comecei a assistir o filme e depois decidi que esse não era o melhor jeito se eu quisesse encontrar algo original, então eu li os livros e encontrei tudo o que queria lá”, diz Blunt. “Os livros rapidamente se tornarão uma fonte para mim. Eu sou uma dessas pessoas que, quando tenho um instinto sobre uma personagem e encontro uma “entrada”, apenas vou. A personagem saltou da página e imediatamente tive um instinto sobre como interpretá-la, e está na direção que os livros estavam me levando. “
A Mary Poppins que vive nos livros de Travers, que para maioria das pessoas é menos conhecida que o filme da Disney, na verdade, lembra o ritmo corrido de ‘His Girl Friday’. No livro, Mary Poppins tem uma simpatia implícita, mas ela também é bastante barulhenta, obcecada pela perfeição, facilmente ofendida e pronta para disparar uma farpa ácida para aqueles que a incomodam. A maioria dos capítulos termina com Mary, depois de ter levado as crianças Banks para as nuvens ou no fundo do mar, insistindo que o inimaginável que aconteceu foi exatamente isso – inimaginável. Este são os níveis que Blunt calibrou em seu desempenho. “É um pouco surreal às vezes, mas estou tentando abordá-la como eu faria com qualquer outra personagem, de modo que não fiquei sobrecarregada com a imagem icônica que as pessoas têm de Mary Poppins”, diz a atriz.
O diretor Marshall, diz que Blunt foi sua primeira e imediata escolha para o papel quando o projeto surgiu pela primeira vez: “Nós realmente trabalhamos para descobrir quem ela é no mundo e quem é nas aventuras, porque nas aventuras, ela se deixa ir e pode ser excêntrica e estranha em sua essência, e no mundo real, ela nega absolutamente tudo o que aconteceu. Foi tão surpreendente ver Emily nos ensaios. Ela trabalhou no livro e encontrou o caminho. Ela tem essa incrível combinação de mistério, humor e calor, mas também é incrivelmente rígida. Há, de certa forma, um pouco mais de escuridão nela. É a gama completa. Emily encontra aquela excentricidade, estranheza e grande profundidade de sentimento e vulnerabilidade. A própria Mary Poppins pode ser um tipo de personagem abrasivo, então você tem que encontrar alguém que tenha esse calor e humor para que você possa ter todas as facetas de Mary Poppins. E você tem eu encontrar alguém que saiba cantar e dançar. “
Blunt mais que provou suas habilidades musicais no filme de Marshall em 2014, Caminhos da Floresta, mas aqui, ela diz que o diálogo rápido serve de uma função muito útil para fazer ‘Mary Poppins Returns’ combinar tão bem com a própria personagem. “Com um musical, você precisa dessa leveza para que as transições nunca se pareçam como, ‘Ei, aqui está uma música’ diz Blunt. “Rob não gosta de uma transição perfeita para um número musical. Ele gosta que soe real, como se houvesse algo que é tão grande para dizer em palavras, que você acaba cantando. “

Fonte: Marc Snetiker para Entertainment Weekly
Traduzido por: Emily Blunt Brasil

 

Emily Blunt Brasil | 08.06.2017 | Filmes,Mary Poppins Returns,Notícias

A revista norte-americana Entertainement Weekly divulgou nesta quarta-feira (07), novas fotos de ‘Mary Poppins Returns’ e detalhes exclusivos do filme, confira o artigo traduzido:

Não é nenhum segredo que todas as babás são comparadas com uma única, maravilhosa destreza de disciplina sobrenatural que voou no vento oriental em 1964. A personagem icônica permaneceu no coração dos espectadores desde que explodiu nas telas pela primeira vez. – e agora ela está de volta.

‘Mary Poppins Returns’ da Disney (no natal de 2018 nos cinemas) pode ser umas das sequências de maior perfil já tentadas, mais de meio século depois que o clássico cinematográfico de Walt Disney imortalizou as carreiras de Julie Andrews e Dick Van Dyke, quebrou recordes, conseguiu uma palavra no dicionário (adivinhe qual delas) e se tornou um dos filmes mais apreciados de todos os tempos. Situado em 1910, o filme original, vagamente baseado nos dois primeiros volumes da série de oito livros de P.L. Travers, contou a história de como Mary Poppins uniu um pai ausente e seus dois filhos brincalhões através de sua magia singular e enigmática. Mas havia mais seis livros de Travers, estourando com mais personagens e histórias, esperando ser adaptados na tela um dia.

‘Mary Poppins Returns’, dirigido por Rob Marshall (de Caminhos da Floresta), pega os eventos de 25 anos após o primeiro filme, encaminhando-se rapidamente para a crise econômica de Londres em meados da década de 1930, o período atual dos livros de Travers. O número 17 da Cherry Tree Lane tornou-se a casa calorosa que o banqueiro e artista Michael Banks (Ben Whishaw) compartilha com sua esposa e três filhos. Mas depois da morte súbita da esposa de Michael, a família Banks é despedaçada – nem mesmo a entusiasmada tia Jane (Emily Mortimer), agora uma fervorosa organizadora da união, e a empregada de longa data Ellen (Julie Walters) não podem ajudar a reanimar os espíritos – e assim, a casa que floresce está à beira do despejo.

Com a chegada da primitiva e peculiar Mary Poppins (Emily Blunt), que lidera as crianças rebeldes de Michael (e os próprios Jane e Michael) em uma série de aventuras inacreditáveis, até o topo do Big Ben, no fundo do oceano, em encontros mágicos com pinguins dançantes e primos (hey, Meryl Streep!). Se alguém pode ajudar esta família a encontrar a luz que perderam, é Mary Poppins.

Contendendo com cinco décadas de um legado praticamente perfeito, os cineastas da sequência se dedicaram a ser tão fiéis e respeitosos quanto possível ao icônico filme original, enquanto ainda criavam um novo musical familiar. “A barreira para isso é tão alta, ’ diz Marshall, que também dirigiu o vencedor do Oscar ‘Chicago’. “Mas para poder seguir os passos desta bela história sobre uma mulher que traz magia para esta família que está à procura de maravilhas, esperança e alegria em suas vidas… sinto uma grande responsabilidade e reverência todos os dias. Todos nós sentimos isso. Estamos apenas levantando para chegar lá com as intenções corretas por trás disso. ”

É um sentimento ecoado pelo elenco, cheio de amantes de Mary Poppins, como Blunt (que ganhou a benção de Julie Andrews como personagem muito antes da primeira câmera rodar) e Lin-Manuel Miranda (que interpreta o amigo de Mary, Jack, um otimista acendedor de lampiões e aprendiz da famosa chaminé de Dick Van Dyke, Bert.) Mesmo o departamento criativo está cheio de pessoas que conhecem as apostas e querem fazer isso direito: os compositores vencedores do Tony, Marc Shaiman e Scott Wittman (Hairspray) escreveram uma nova trilha que soa bem com Poppins, enquanto a estilista Sandy Powell e sua equipe trabalham para trazer a aparência icônica de Mary e da família Banks para a elegante década de 30.

EW estava no set do filme em Londres no início deste ano e voltou com um bolsa de tapete infinita com coisas boas sobre a sequência. Da impressionante recriação da Cherry Tree Lane no Shepperton Studios para as ruas reais da velha Londres, onde Jack traz luzes fantásticas, o set de ‘Mary Poppins Returns’ é um verdadeiro playground, e o espírito de Mary é inconfundivelmente presente. Assim como disse Dick Van Dyke, que filmou um cameo ultra-secreto – não, não como Bert – apenas um antes da visita da EW. “Dick Van Dyke disse que o que ele mais lembra do filme original era o espírito, e ele disse: é exatamente o mesmo espírito aqui”, diz Marshall, parado  sobre os paralelepípedos na frente do número 17. “Ele estava aqui na Cherry Tree Lane e disse: sinto que estou em casa”.

Fonte: Marc Snetiker para Entertainment Weekly

Traduzido por: Emily Blunt Brasil

   

FILMES > MARY POPPINS RETURNS (2018) > STILLS

Emily Blunt Brasil | 29.03.2017 | Entrevistas,Mary Poppins Returns

A figurinista Sandy Powell, 12 vezes indicada e 3 vezes vencedora do Oscar (Shakespeare In Love, The Aviator, The Young Victoria), conta à Entertainment Weekly  detalhes do figurino de Emily Blunt em ‘Mary Popins Returns’. Entrevista traduzida:

Emily Blunt entra nos sapatos (chapéu e casaco) praticamente perfeitos de Julie Andrews para a sequÊncia do clássico de 1964 da Disney. A figurinista Sandy Powell nos leva por trás das costuras do novo e mágico figurino de Mary. Por Marc Snetiken
Faz mais de 20 anos (no tempo do filme) desde que os ventos mudaram e o Sr. Banks empinou uma pipa, e Mary Poppins voou pelo céu de Londres para lugares desconhecidos. Mas no natal de 2018, Mary (Emily Blunt) vai aterrizar na Cherry Tree Lane novamente em ‘Mary Poppins Returns’, uma sequência do musical de 1964 musical estrelado por Julie Andrews como a babá mais maravilhosa da história do cinema.
Agora é 1930 quando Mary volta para as crianças Banks, Jane (Emily Mortimer) e Michael (Ben Whishaw), já crescidos. Para esta cena, a três vezes vencedorora do Oscar de Melhor Figurino Sandy Powell (Cinderella, 2015) teve que repensar a “roupa de chegada” de Mary, que remete ao original, com uma torção. “É o icônico figurino que a maioria das pessoas vão se lembrar”, disse Powell. “O casaco e o chapéu foram as coisas que eu tive mesmo que quebrar, e isso era sobre conseguir a silhueta, a cor e a textura. Tinha que ser uma nova opinião sobre ele.” Aqui ela explica como fez.:

Sonho-azul (Casaco): O casaco azul cobalto de Mary dá à Blunt uma silhueta estreita na cintura paralelo com Andrews, mas com a adição de uma capa (“por alguma razão, isso é como eu via Mary – com uma pequena capa”, diz Powell) e a perda de algumas polegadas de altura. “É um pouco mais curto porque esta é a década de 30 em vez da era Eduardiana [Inglaterra]”, explica Powell. “Eu também não queria que fosse preto. O casaco tradicional de uma babá poderia ser de um azul marinho muito escuro, mas eu precisava de uma cor que não desapareceria em momentos sombrios. Eu queria que fosse azul – é quase um royal – e coloquei, para que você pudesse vê-lo sem que seja distrativamente vibrante”.

Vermelho-tordo (Chapéu): Powell diz que o diretor Rob Marshall (Caminhos da Floresta), encorajou-a a encontrar “uma excentricidade peculiar equivalente paro o chapéu” para homenagear a “pequena flor” do original. A solução foi aves – não do tipo que você alimenta, do tipo que você decora. “Eu não queria um pássaro que parecesse remotamente real – que coisa, ter um pássaro real empalhado no chapéu de Mary Poppins,” ela disse com uma risada. “Eu pensei naqueles pássaros da canção ‘Spoonful of Sugar’. Eu achei que seria um muito bom fazer referência a isso.” No entanto, não espere que isso se mova. “No momento, não,” ela diz. “Nós não queremos que ele lute com a cabeça de papagaio no guarda-chuva .”

Passeio no tapete mágico (Bolsa): Powell se uniu com o departamento de adereços para dar fazer uma transformação definitiva à mala encantada de Mary, inspirada por – spoiler! -um tapete de verdade. “Isso é o como uma bolsa de tapete deveria ser feita, então eu pensei, porque na verdade não olhar os tapetes e fazer um customização que teria sido feita nos anos 20?” A bolsa descombina propositadamente com a roupa de Mary. “Eu queria que fosse um realce. E sabia que não queria floral. Eu gostei da geometria disso, e escolhemos essas cores porque achei que destacavam. Costumo de escolher as cores apenas por instinto porque é como eu gosto.”

Scans e o first look em HQ estão em nossa galeria:
INICIO > FILMES > MARY POPPINS RETURNS > FIRST LOOK – EW
INICIO > SCANS > 2017 > ENTERTAINMENTY WEEKLY

Emily Blunt Brasil | 10.02.2017 | Mary Poppins Returns,Notícias

A filmagem está agora em andamento nos estúdios de Shepperton em Disney Mary Poppins Retorna com Emily Blunt e Lin-Manuel Miranda ( Hamilton ), Rob Marshall está dirigindo a sequencia de Mary Poppins a partir de um roteiro de David Magen, baseado em As histórias de Poppins de PL Travers . O elenco também inclui Ben Whishaw, Emily Mortimer, Julie Walters, Colin Firth e Meryl Streep. Mary Poppins estreiando com Dick Van Dyke está definido para atuar como Mr. Dawes Jr, o presidente do Fiduciary Bank Fidelity. As três crianças de Banks serão interpretadas por Pixie Davies, Nathanael Saleh e Joel Dawson.

O novo filme para a família é produzido pelo diretor Rob Marshall, John DeLuca e Marc Platt. Marc Shaiman e Scott Wittman escreveu novas músicas para a produção, e Shaiman também está trabalhando na produção original. Marshall, DeLuca e Joey Pizzi estão coreografando os números da dança.

Sinopse: Mary Poppins Returns está ambientada na década de 1930, na era da depressão de Londres (o período de tempo dos romances originais) e é extraída da riqueza de material nos sete livros adicionais de PL Travers. Na história, Michael (Whishaw) e Jane (Mortimer) estão agora crescidos, com Michael, seus três filhos e sua governanta, Ellen (Walters), vivendo em Cherry Tree Lane. Depois que Michael sofre uma perda pessoal, a enigmática babá Mary Poppins (Blunt) volta a entrar na vida da família Banks e, junto com o otimista farolista Jack (Miranda), usa suas habilidades mágicas únicas para ajudar a família a redescobrir a alegria que faltam em suas vidas. Mary Poppins também apresenta as crianças a uma nova variedade de personagens coloridos e caprichosos, incluindo sua prima excêntrico, Topsy (Streep).

Disney prometeu o lançamento mundial para 25 de dezembro de 2018.

#Curiosidade
O filme original estrelado por Julie Andrews e Dick Van Dyke foi lançado em agosto de 1964 e ganhou 13 indicações ao Oscar, ganhando cinco Oscars.

Emily Blunt Brasil | 20.12.2016 | Mary Poppins Returns

Dick Van Dyke vai participar de Mary Poppins Returns! Intérprete de Bert e Mr. Dawes no longa original, o ator veterano confirmou a informação durante uma entrevista para o THR, mas ainda não revelou qual será seu personagem na sequência.

Emily Blunt assume o icônico papel de Julie Andrews, enquanto Ben Whishaw e Emily Mortimer interpretam as versões adultas dos irmãos Michael e Jane Banks. Colin Firth viverá um banqueiro, Meryl Streep será a prima da protagonista e Lin-Manuel Miranda vai encarnar Jack, aprendiz de Bert.

David Magee (Em Busca da Terra do Nunca, As Aventuras de Pi) escreveu o roteiro a partir da obra de P.L. Travers. Marc Shaiman assina a trilha sonora original e Scott Wittman é o responsável pelas canções inéditas. Já a direção é de Rob Marshall.

Mary Poppins Returns chega aos cinemas no dia 25 de dezembro de 2018.

 

FONTE: ADOROCINEMA

Emily Blunt Brasil | 15.10.2016 | Entrevistas,Mary Poppins Returns,O Diabo Veste Prada

Recentemente, sentei-me com Blunt, em Nova York, onde discutimos sendo uma mãe e o que isso tem afetado os projetos que ela escolhe, trabalhando com o marido, e qual filme ela espera que seus filhos nunca encontrem.

PopSugar: Como muito, se tudo, são seus filhos um fator para a escolha de papéis reais que você escolha agora?

Emily Blunt : Mary Poppins! Que presente para minhas meninas! Eu teria feito Mary Poppins se eu fosse uma mãe ou não, mas o fato de que eu sou uma mãe e uma mãe de meninas é tão incrível para ser capaz de atuar como Mary Poppins. É um presente real. Porque elas vão só vou encontrá-las feliz.

PS: Que outros filmes de sua arquitetura você está animada para mostrar os seus filhos?

EB : Eu fiz Animal Crackers com John [Krasinski], que foi tão divertido e bonito. E eu fiz My Little Pony , embora eu sou um pônei desagradável em que, o que foi um pouco divertido. Estou animado sobre Mary Poppins.

PS: Quais filmes você não deseja que eles vejam?

EB : My Summer of Love , que foi o meu primeiro filme, onde eu estou tendo uma cena nua de sexo. Coisas assim, eu não acho que elas tenham que ver. Seria embaraçoso.

PS: Como foi que você e John realmente gravaram juntos e animal crackers?
EB : Nós fizemos sim, por isso tivemos de improvisar muito.

PS: Eu sinto que isso nunca acontece. Você sempre ouve sobre atores estarem na estande sozinho e nunca mais vejam o resto do elenco.
EB : Nunca! Pedimos para que ele, mas é muito mais fácil de coordenar com um casal que pode conduzir a trabalhar juntos. Foi legal porque poderíamos simplesmente sair do roteiro e torná-lo nosso. Isso foi divertido.

PS: Você vê isso como um trampolim para trabalhar juntos em um filme de ação ao vivo?
EB : Nós queremos! Tem que ser a coisa certa. Estamos procurando a coisa certa.

PS: Então John disse recentemente que viu O Diabo Veste Prada 75 vezes. . .
EB : Este filme é uma aberração para ele.

PS: Você já viu tudo o que ele fez mesmo perto de que muitas vezes?
EB : Eu vi um monte de episódios de The Office , mas eu não diria que eu assisti cada um 75 vezes . Eu não sei o que isso diz sobre mim.

PS: Há uma série de episódios de The Office. Literalmente mais de 100.
EB : Mas eu já vi cada um. Isso é um compromisso, certo? rsrsrs

Fonte

Emily Blunt Brasil | 02.09.2016 | Mary Poppins Returns,Notícias

Em entrevista para o Entertainment Weekly, Blunt contou como foi a reação da atriz veterana: “Rob [Marshall, diretor] encontrou Julie em Hamptons e contou a novidade. E ela achou maravilhoso! Eu tive vontade de chorar. É incrível ter a aprovação dela.”

Além disso, Emily contou que a nova versão de Mary Poppins será um pouco diferente: “Nós estamos nos inspirando mais nos livros, não posso adiantar muita coisa, porém é algo distinto. Ela é um pouco mais durona, sim!”, se referindo à obra de P.L. Travers.

Mary Poppins Returns é ambientada na Londres após a Grande Depressão e acompanha Jane e Michael Banks – agora crescidos. Após um trauma atingir a família, a magica babá aparece para recuperar a alegria deles.

Lin-Manuel Miranda, premiado criador do musical Hamilton, já foi confirmado no elenco. Rumores apontam que Meryl Streep e Ben Whishaw estão negociando para atuar na produção. A previsão de estreia é para dezembro de 2018

Emily Blunt Brasil | 05.07.2016 | Mary Poppins Returns

Apesar de aclamada pelo papel da agente corajosa e incorformada com a promiscuidade no modus operandi do FBI no combate ao cartel das drogas em Sicário – Terra de Ninguém (2015), a atriz inglesa Emily Blunt não vai estrelar a sequência do filme intitulada Soldado, dirigida por Stefano Sollima (Gomorra) e ainda sem data de estreia. Blunt prefere se concentrar em Mary Poppins – papel ao qual ela dará vida novamente nos cinemas. A sequência do clássico de 1964 será lançado em 25 de dezembro de 2018.

Emily Blunt, que acaba de dar a luz a uma menina, se prepara para começar as intensas filmagens de Mary Poppins Returns no final deste ano e a Disney, produtora do clássico que também assina a sequência, anunciou Lin-Manuel Miranda, famoso por sua atuação no musical Hamilton, como um novo personagem: um acendedor de lâmpadas de rua chamado Jack.

Ainda não se sabe se a sequência será fiel aos livros de P.L. Travers. Mas já é sabido que a história vai se passar durante a Grande Depressão do Reino Unido, na Londres dos anos 30 – época em que o autor escreveu Mary Poppins. O novo filme mostra os agora crescidos Jane e Michael Banks, então crianças cuidadas pela babá Mary Poppins no filme original. Juntamente com os três filhos de Michael, eles são revisitados por Poppins, 20 anos depois.

O desfecho é o mesmo: com seus poderes mágicos e muito encantamento, Poppins vai trazer de volta a alegria de viver desta família. O novo Mary Poppins será dirigido por Rob Marshall (Chicago, Nine e Piratas do Caribe – Navegando em Águas Misteriosas) – um nome forte em musicais que certamente tem competência para repaginar Mary Poppins de forma moderna e inusitada. A sequência é projeto ambicioso, já que o filme ocupa a sexta colocação na Lista dos 25 maiores musicais americanos de todos os tempos, idealizada pelo American Film Institute (AFI), divulgada em 2006.

“Estou extremamente honrado de ter sido convidado pela Disney para trazer as aventuras de P.L. Travers à tela. O icônico filme original significa muito para mim. Sou fã de Mary Poppins e acredito que a mensagem que ela trouxe às crianças daquela época soa ainda mais encantadora e desafiadora nos dias de hoje, para uma nova geração mergulhada na tecnologia”, diz Marshall.

Mundo nonsense

A babá e seu mundo nonsense ganhou vida originalmente no cinema sob a batuta do diretor Robert Stevenson, estrelando Julie Andrews e Dick Van Dyke. O sucesso foi tanto que deu um Oscar de Melhor Atriz e o BAFTA de Melhor Atriz Revelação a Andrews. A sequência da história nunca foi filmada e foi escrita por Pamela Lyndon Travers, também atriz e jornalista, entre 1935 e 1988.

O filme Walt nos Bastidores de Mary Poppins (2013) conta bem o quão longa e desgastante foi a negociação da Disney para comprar de Travers os direitos dos livros. Travers só concordou em vendê-los no final da década de 50, quando os livros de Mary Poppins vendiam bem menos.

A história do filme foi modificada para que a personagem de Mary Poppins não parecesse tão fria quanto nos livros. No filme também foram cortados John e Bárbara, os gêmeos da família Banks. Vale notar também que Pamela Travers não queria que o filme mostrasse romance algum entre Mary e Bert, mesmo tendo sugerido uma certa paquera entre os dois em seus livros. Por isso, o número musical do filme Jolly Holiday (Um dia tão feliz), em que Bert canta para Mary, foi uma decepção para a autora, pois deixava bem claro que eles tinham um affair.

No musical que estreou em Londres, em 2004, os diretores e roteiristas incentivaram o romance, fazendo Mary dar um beijo na bochecha de Bert. A produção foi um sucesso tão grande que foi parar na Broadway, em 2006.

Layout por Meesvely · Hospedado por Flaunt Network · Alguns direitos reservados Emily Blunt Brasil ·